top of page
  • Foto do escritorcamapimenta

Colchão tem validade?

Nunca é demais ressaltar a importância de escolher o colchão certo para seu sono, baseado nas suas necessidades pessoais e preferências.


Afinal, passamos um terço da nossa vida na cama: um colchão de qualidade pode ser a diferença entre um descanso restaurador e uma noite que passamos nos virando sem conseguir dormir direito.


Até o melhor colchão vai sofrer degradação com o tempo. Mas quanto tempo deveria durar um colchão?


Homem acordando disposto após uma noite de sono reparadora

Nesse post, vamos discutir quanto tempo um colchão tipicamente dura. Vamos ajudar você a decidir quando substituir um colchão, garantindo o conforto e a ergonomia do seu sono.


Quanto tempo dura um colchão?


Tipicamente, a maioria dos colchões tem um prazo de validade de 7 a 10 anos. No entanto, há muitas variáveis que podem influenciar na vida útil do colchão.


A qualidade de confecção, as matérias-primas utilizadas, e até o biotipo e jeito de dormir do usuário pode influenciar na longevidade do produto.

Colchão ambientado em um quarto

Porém, colchões não tem uma data de validade exata. Cabe ao usuário decidir quando é a hora de substituir seu colchão por outro novo. Geralmente, estamos tão acostumados às nossas camas que não notamos quando há um problema.


Ao mesmo tempo, o conforto e o suporte do colchão são vitais para a qualidade do nosso sono. Mesmo que adquirir um colchão novo possa significar uma despesa considerável, é absolutamente recomendável que o troquemos regularmente.


Fatores que influenciam a vida útil de um colchão


Mesmo sabendo da regra geral de validade de 7 a 10 anos, nem todos os colchões vão alcançar essa idade sem sofrer alguma degradação. Diversos fatores influenciam em sua vida útil, como:


Matérias-primas


Os materiais utilizados na construção de um colchão vão constituir um fator importantíssimo em sua longevidade. Materiais como látex e espumas de poliuretano de alta densidade podem durar por um longo tempo, enquanto que espumas de menor densidade podem degradar muito mais rapidamente.


Qualidade da fabricação


A qualidade do colchão que compramos é outro fator que exercerá grande influência na durabilidade do produto. Um colchão de entrada barato certamente durará menos que um colchão de molas de maior qualidade e valor agregado. Embora um colchão mais caro não necessariamente signifique um colchão melhor, em geral, colchões com uma qualidade de confecção melhor costumam custar mais caro e tendem a durar mais.


Tipo do colchão


Seu colchão é de espuma inteiriça, de espuma composta, de látex ou de molas? O tipo de colchão pode afetar diretamente sua longevidade. Colchões com látex tendem a durar mais, seguidos daqueles feitos com espumas de poliuretano ou viscoelástico de alta densidade. Espumas de menor densidade costumam sofrer impactos do uso mais rapidamente.


Posições de dormir e biotipo


A posição que você escolhe ao dormir, bem como seu biotipo, vão afetar o tempo de duração do seu colchão. Pessoas de biotipo mais elevado irão exercer mais pressão nas espumas do colchão, enquanto que pessoas que dormem de lado exercerão mais pressão na região dos ombros e dos quadris.


Rotinas de cuidados com o colchão


Assim como a maioria das coisas que tomamos os cuidados necessários, cuidar do colchão fará com que ele dure mais. Os cuidados que devemos tomar em relação a ele incluem uma rotina de limpeza, utilizar protetores e seguir as instruções do fabricante de conservação do produto. Alguns colchões, por exemplo, devem ser rotacionados regularmente, enquanto que outros não podem ser expostos ao sol.



Mas afinal, quando devemos trocar nosso colchão?


Saber o tempo de validade de um colchão é útil, mas devemos utilizar esse prazo apenas como um guia geral. Decidir quando é a hora de trocar nosso colchão é um a decisão pessoal que envolve diversos fatores.


Mulher demonstrando dores na coluna após dormir mal

Aqui vão algumas perguntas que você deve fazer a si mesmo:

  • Você está dormindo bem?

  • Você dorme melhor quando está em um colchão de hotel, ou na casa de familiares e amigos?

  • Seu colchão parece flácido ou sem suporte?

  • Você acorda com dores?

  • Você ou seu parceiro se viram ou se mexem muito durante a noite, tentando encontrar uma posição confortável?

  • Você sente os movimentos do parceiro no colchão mais do que costumava sentir?

  • Você notou algum aumento nos seus sintomas de alergias, rinite ou asma?

  • Já faz mais de 7 anos que você comprou seu colchão?


Se você puder responder “sim” para uma ou mais dessas perguntas, pode ser a hora de trocar seu colchão.


 
 

Se você está dormindo bem, acordando descansado e seu colchão parece performar adequadamente sua função, talvez você possa mantê-lo por mais alguns anos. Dito isso, é recomendável trocar seu colchão com regularidade, pois o investimento é extremamente compensatório em termos de saúde e bem-estar.


Ao comprar seu colchão, é importante checar o tempo de garantia, permanecendo atento ao aparecimento de qualquer problema no colchão que perturbe seu descanso. Se for o caso de defeito do produto, ele pode ser consertado ou substituído.

Além disso, é muito importante atentar ao seu biotipo na escolha das molas e matérias-primas, bem como escolher o colchão mais adequado para seu conforto pessoal.


Mulher tendo uma boa noite de sono


Por isso, sugerimos que o usuário experimente pessoalmente o colchão antes de comprar, e se for dormir em casal, levar seu companheiro para escolher o colchão conjuntamente, garantindo o conforto pessoal e noites de sono aconchegantes e reparadoras.


(Texto adaptado do artigo de Lauren Fountain, publicado no site da Sleep Foundation, acrescido com informações do periódico Universo Abicol número 05 de março de 2018)

310 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page